Investing & Day Trading Education:  Day Trading Academy
Free ebooks Library zlib project z-library zlibrary project

First Solar: A Líder do Bando

Como os custos de energia começaram mais uma vez a aumentar com o preço do óleo no seu nível mais alto em 2015, um investidor pode querer dar uma outra olhadinha em fontes alternativas de produção de energia. Em se tratando de energia solar, a melhor opção seria americana First Solar. Esta empresa tornou-se líder na indústria alterando a forma como o a energia é capturada, assim reduzindo muito tanto o custo de fabricação como o custo de instalação do cliente. Isto é importante porque uma das três barreiras para expansão da indústria tem-se baseado no preço da tecnologia.

A First Solar, NASDAQ: FSLR, foi fundada em 1999 e tem sede em Tempe, no estado do Arizona. A empresa abriu seu capital em 2006. A empresa é um fabricante de produtos fotovoltaicos (photovoltaic – PV) que faz módulos de filme fino rígidos, que servem como painéis solares. Além disso, a First Solar é um fornecedor de usinas fotovoltaicas (PV) de escala de utilidade pública e serviços de apoio. Seus serviços incluem a construção, financiamento, manutenção e upgrades de usinas e, claro, reciclagem de painéis solares.

A First Solar tem investido em telureto de cádmio como um semicondutor para produzir painéis que competem muito bem com a tecnologia de silício cristalino convencional. Na verdade, já em 2009, a First Solar tornou-se a primeira empresa a reduzir seus custos de produção para $1.00 USD (Dólar dos Estados Unidos) por watt. Em 2010, a tecnologia da First Solar custava $0,67 por watt, em comparação com a tecnologia padrão que ainda estava custando $1,85 por watt. Até 2013 esse custo foi reduzido ainda mais, para $0,59 por watt. Os custos para 2015 estão oscilando entre $0,52 e $0,54, em média.

Outra grande barreira para o uso de energia solar tem sido a eficiência de absorção de energia dos próprios painéis. Em 2013, a First Solar conseguiu levantar essa proporção para 14%. Em 2014 a proporção foi aumentada ainda mais para 17%, sendo que, em laboratórios a porcentagem atingida chegou a 20,4%.

A partir de 2010, a First Solar foi considerada como a segunda maior fabricante de tecnologia fotovoltaica em todo o mundo. Ela chegou na 6a colocação na lista das 50 empresas mais inovadoras do mundo, da Fast Company. Em 2011, a empresa classificada em 1o lugar na lista das 25 empresas de tecnologia americanas com crescimento mais rápido, da Forbes. A First Solar também foi listada em 1o lugar, tanto em 2012 quanto em 2013, no ranking da revista Solar Power World, de empreiteiros de tecnologia solar.

A First Solar realizou instalações de módulos de energia em empresas da Ásia, Austrália, Europa, Oriente Médio, África do Norte e, claro, América do Norte. A empresa anunciou recentemente planos para expandir suas operações na Índia. Esta nação sul-asiática planeja expandir amplamente sua utilização da energia solar, o que será uma grande oportunidade para uma empresa extremamente competitiva e inovadora como a First Solar.

A First Solar também está se preparando para trabalhar com a SunPower na criação de uma joint venture (yieldco). O objetivo dessa joint venture é reduzir os custos de capital e melhorar as opções de financiamento, para futuros projetos de energia solar. A esperança é que ambas as empresas serão capazes de expandir seus negócios, de maneira drástica por meio de um esforço colaborativo.

Mapa em relevo da Califórnia

Os lucros devem cair brevemente com a conclusão de dois grandes projetos atualmente em andamento, que são o Desert Sunlight e o Topaz, ambos na Califórnia, bem como o investimento necessário para a joint venture. Como resultado, as receitas caíram USD 350 milhões dólares em comparação com o primeiro trimestre do ano passado.

Além disso, a empresa anunciou um acordo de USD 848 milhões de dólares com a Apple, para desenvolver uma planta de energia solar. A nova unidade vai abastecer as 52 lojas da Apple e um data center na Califórnia. Isso por si só irá impulsionar as operações da First Solar em 7%.

Embora a energia solar atualmente gera menos de 1% do total da energia elétrica produzida nos Estados Unidos, a produção deverá aumentar drasticamente, a medida que o custo de instalação diminui ainda mais. Esta é a terceira barreira que impede a utilização em larga escala da energia solar nos Estados Unidos e em outros lugares.

Topaz Solar Farm: painéis solares na Colifórnia

Este escritor de investimentos está recomendando as ações da First Solar, no presente momento, com base em três fatores principais. A empresa tem se mantido rentável através da inovação, ao contrário de um número de outros concorrentes. O investimento contínuo em tecnologias para reduzir os custos relacionados a geração de energia e aumento de eficiência, fazem da First Solar um candidato notável para futuro crescimento. Finalmente, a First Solar tem mantido um balanço sólido e com fluxo de caixa positivo, principalmente nos últimos dois anos.

Ontem, a ação da First Solar, Inc. estava cotada em $56,81. Um aumento de $0,03 em relação ao dia anterior. Ela tinha aberto o dia em $56,83 e atingiu um pico $57,78, com um mínimo de $56,50. Nos últimos 5 dias, os preços caíram de $63,00 por ação em 29 de abril, para uma baixa de menos de $57,00 no início desta semana. O preço da ação estava acima de $60,00 por todo o mês de abril, até o último dia. Ainda recentemente, em fevereiro, as ação estavam sendo vendidas por menos de $50,00 por ação. Ao longo de 52 semana, a baixa foi de $39,18 dólarese a alta foi de $73,78.

A capitalização de mercado está atualmente em USD 5,72 bilhões dólares.

O volume total de ações negociadas ontem foi 2,78 milhões. A média de três meses é pouco mais de 3 milhões.

O price earnings ratio (P / E) é de 14,53 e o lucro por ação (EPS) é de $3,91 USD.

As receitas por funcionário estão em $480.341 USD.

Investidores interessados na Empresa podem querer definir uma meta de curto prazo de $62,49 USD. Este aumento de $5,68 no preço da ação irá permitir um retorno de 10% sobre um investimento. Uma meta a médio prazo de $65,33 USD, permitirá um retorno de 15%, em um avanço de quota de $8,52 USD. A meta de longo prazo de $68,17 USD, com um aumento de preço das ações de $11,36, permitirá um retorno de 20%.

É importante notar que a meta a longo prazo ainda está abaixo da alta das 52 semanas anteriores, por um total de $ 5,61 USD.

Um stop target pode ser colocado $47,36 USD. Este declínio de $9,45 no preço da ação é equivalente a uma perda de 19,95%. Isto indicaria que a empresa está funcionando em sérias dificuldades e não é mais um bom investimento.